Afinal, o que é O Livro Aberto?

Antes de você começar a ler este post, gostaria de já pedir desculpas pelo conteúdo ultrapessoal e explicativo dele. Por algum motivo, senti que tinha que ser assim. Juro juradinho que os próximos serão bem mais objetivos.

Bem, depois que publiquei o site, tive duas grandes dificuldades para dar início ao blog. A primeira foi tempo. A segunda escolher por onde começar.

Tempo porque, se você não me conhece no mundo real não sabe, mas eu tenho um bebê que está com sete meses. E aí, quando a gente se vê imersa na maternidade (um “emprego” que nos ocupa 24 horas, 7 dias na semana), fica difícil pensar em qualquer outra coisa.

Até que, no fim de semana passado, durante a segunda edição da Lifestyle Academy, eu percebi que tinha que começar do princípio.

Quem sou eu?

Meu nome é Rachel Agavino, eu me formei em Produção Editorial e há 12 anos atuo nesse mercado. Comecei como cotejadora e revisora, depois de não ter ficado com uma vaga de estágio na Nova Fronteira porque me formaria em apenas seis meses (e eles queriam um estagiário por pelo menos um ano). Antes que os seis meses passassem e eu me formasse, o telefone tocou. Era a gerente editorial dizendo que tinha aberto uma vaga para assistente e perguntando se eu ainda queria trabalhar lá. Lógico que eu queria!!!

Fui, feliz da vida. E mesmo assim nunca mais parei de trabalhar como colaboradora freelancer. Sim, sempre trabalhei dobrado. Era o expediente na editora e jornada dupla em casa. Foi assim que consegui trabalhar – como funcionária ou colaboradora – para quase todas as editoras do Rio.

Em 2007, depois de um ano como autônoma, resolvi voltar ao mercado e fui trabalhar na Sextante. Em 2011, além de revisão e copidesque, passei a fazer tradução. Então, até pouco tempo, eu era tradutora em casa e, na empresa, coordenava a produção da Arqueiro, o selo de ficção da Sextante.

Um bom emprego, um salário justo, uma equipe que eu adorava, uma segunda carreira que me garantia uma renda extra…

Como e por que resolvi largar tudo?

Além do bebê de 7 meses, eu tenho um filho de 7 anos. Ele é um garoto lindo, carinhoso, alegre, paciente e compreensivo. Nunca reclamou porque eu chegava tarde. Nunca se queixou de mal me ver durante a semana e eu ter que trabalhar tanto aos sábados e domingos… até que chegou 2013.

Sem dúvida 2013 foi um dos anos mais difíceis da minha vida. Para começar, o meu filho disse para a minha mãe: “O papai brinca comigo. A mamãe, não. A mamãe trabalha.”

Duro, né? E depois ele começou a ter vários probleminhas de comportamento na escola: não comer, não brincar com os amigos, chorar, pedir para me ligar…

Ok, universo. Eu entendi, mas o que eu podia fazer?

Encontrei o caminho em um… livro!

Escolha sua vida, da Paula Abreu. Eu não li o livro, devorei. Era novembro de 2013. Então escrevi para a Paula, abusando um pouco de conhecê-la de antes (da sua “antiga vida”) e perguntei se ela não podia ser minha coach. Ela não podia, mas me convidou para participar da turma beta do Programa Escolha sua Vida.

Três meses depois pedi demissão.

Eu vi que, mesmo gostando muito do meu trabalho, precisava de tempo. Precisava buscar meu filho na escola, estar com ele. Não dava mais para ser ausente em casa.

Meus chefes (uns queridos) não queriam que eu fosse embora e fizeram uma contraproposta para reduzir minha carga horária. Era irrecusável e eu fiquei.

Mas então como surgiu O Livro Aberto?

Em novembro de 2014, há um ano exato, participei do evento ao vivo da Paula Abreu, a Lifestyle Academy (primeira edição).

Durante uma dinâmica, nós tínhamos que ser o nosso “eu milionário”, aquele bem-sucedido, que faz o que ama, que sabe sua missão e seu propósito na vida. Acontece que, na visualização, eu não era mais funcionária de uma empresa. Eu era empreendedora.

Bem, não era só visualizar, não. A gente tinha que andar pela sala e conhecer outros milionários. De primeira, um rapaz veio falar comigo e me perguntou o que eu fazia. Depois que eu falei, ele disse:

– Mas você já faz isso mesmo, né?

– Não – respondi. – Nunca tinha pensado nisso. Eu sou editora, sim, mas trabalho numa grande empresa.

– Nossa! Mas você tem tanta certeza do que você é!

– …

É. Fiquei muda, com cara de boba.

Como eu estava grávida, sair da empresa não era uma opção. E fui levando… Acontece que a sua missão na vida é uma coisa bem esquisita, viu? Enquanto você não sabe qual é, você anda por aí, fazendo o que dá. Agora, quando você descobre, não tem jeito. Você não consegue mais não fazer aquilo.

Mas então o que é e o que faz O Livro Aberto?

O Livro Aberto é um sonho meu: abrir o mundo do livro para todos que se interessem por ele.

Como escrever um livro? Como publicar um livro? Como divulgar um livro? Como trabalhar com livros? Como resenhar livros?

A minha ideia é descomplicar o assunto e ser útil às pessoas que querem fazer dos livros a sua vida ou ao menos parte delas.

Para isso, eu atuo em três frentes:

A primeira é prestando serviços de tradução e edição externa para as editoras.

A segunda é contando tudo o que eu sei sobre como fazer livros para quem quer trabalhar nessa área, para novos profissionais do livro.

A terceira é atuando junto a quem quer escrever ou publicar. Para isso eu uso o coaching literário, para quem precisa de ajuda para produzir – um livro, textos para internet, resenhas – ou seja, qualquer um que queira escrever. E também abri a editora, para fazer a publicação financiada de novos autores, com a qualidade que uma grande editora oferece, mas com o atendimento personalizado que só uma pequena pode garantir.

Gostou dessa ideia? Quer ficar por dentro das dicas e novidades? Então assine a Newsletter e receba meu conteúdo toda semana!

Um beijo e até a próxima!

Rachel Agavino

Comments (14)

  1. Gabriel

    Responder

    Muito sucesso nessa caminhada! Com certeza vai ser ótimo!
    PS: Teve a transmissão no Periscope? Procurei no seu perfil, mas não achei (também nunca tinha entrado lá rs)

  2. Janine Scheffer

    Responder

    Rachel! Que alegria ver esse texto nascendo e sendo publicado! Não há caminho melhor para começar do que pelo começo, pelo primeiro passo, pelos nossos porquês! E lá estão eles no seu texto! Tenho um orgulho danado de ter sido sua coach nesse caminho lindo que você está percorrendo! E com certeza isso é só o começo! Beijos! Sucesso sempre!

    • Rachel Agavino

      Responder

      Janine, querida!
      Você tem sido muito importante nessa caminhada. Faz ser menos solitária.
      Que sorte a minha ter você comigo desde quando era um sonho!
      Ah! ¨Ter sido¨ minha coach, nada. Você É!
      Gratidão!
      beijo

  3. Vania de Paula

    Responder

    Oi Rachel !! Adorei te conhecer no periscope ! Adoro as sincronizardes do universo ! Em breve entro em contato p um coach literário !!

    Adorei sua estória !

    Verdade quando a gente descobre nosso propósito …fica difícil continuar levando a mesma vida de antes !!! E nessa hora o universo cuida disso e nos envia as pessoas certas !! E vc é uma delas no meu caso
    Beijos e sucesso
    Vania

    • Rachel Agavino

      Responder

      Vania,
      Muito obrigada pelo carinho! Espero mesmo ser sua coach e ser a pessoa certa que o Universo pôs no seu caminho. Fique comigo aqui e no Periscope, até o momento de nossos caminhos se cruzarem de vez! Estou esperando você.
      Um beijo

  4. Responder

    Poxa Raquel, eu estava no LSA também (sou da turma do PESV deste ano) e seria o máximo ter te conhecido porque, pelo que pude ler no seu post e ouvir no seu periscope, seu trabalho tem bastante a ver com o que eu quero pra mim (até a história do filho que reclama da ausência da mãe temos em comum!…). Mas a dinâmica do evento infelizmente não permitiu uma maior integração… Já cadastrei meu email e irei acompanhar seu trabalho. Quem sabe você me ajuda a escolher a minha vida… Abraços e parabéns.

    • Rachel Agavino

      Responder

      Oi Bel,

      Vou fazer o que puder para te ajudar, sim!
      A Lifestyle estava bem cheia, né? Quanta energia positiva junta! Fica comigo por aqui e no Periscope. E vamos conversando. O que você acha que eu posso fazer por você agora?
      Um beijo

  5. Responder

    Oi Rachel!

    Há pouquíssimo tempo também joguei tudo pro alto. Na verdade minha esposa fez isso também, haha! Ao mesmo tempo! xD

    Então nossa vida meio que perdeu o rumo pra poder entrar nos trilhos. Nos certos. 🙂

    Já tenho me dedicado à minha maior paixão: a música. A composição, pra ser mais exato. E tem sido um processo bem bacana!

    Bom, eu vim parar aqui empurrado pelas “paixões secundárias”, haha! Na verdade eu só comecei a compôr, quando garoto, por decidir que o que eu escrevia, precisava ter uma melodia. Mas antes disso, eu só escrevia. E continuo fazendo isso, aos trancos e barrancos.

    Nesse ano de 2015 eu “comecei” um projeto sem querer. Nessa história de compôr, escrever, etc, a gente vai desenvolvendo a criatividade, né? E uma bela noite, cansado de ler as mesmas histórias pra minha filhinha que ainda estava com 5 anos, comecei a contar mais uma “história da cabeça”.

    Na noite seguinte, continuei. E depois. Então comecei a gravar no celular. E só muito, muito depois, comecei a registrar por escrito. Mas aí veio meu grande projeto pessoal e parei no sexto capítulo. 🙂

    A história contada, registrada em áudios e alguns só na minha cabeça, já está no capítulo 92 (eu prefiro chamar de dia 92), o que seria, na verdade, o capítulo 4 do livro 3, ou alguma coisa perto disso. Hahaha!

    Enfim, vou adorar suas dicas e, quem sabe, uma crítica depois de uma rápida olhadela no que tenho por aqui.

    Abraço!

    – Gustaf Rosin

  6. Responder

    Olá
    Gostei de conhecer sua história e como desdobrou sou trabalho. Gosto de escrever textos e poemas, Sou hoje aposentada, atuando em consultório de psicologia; sou Terapeuta de Casal e família e tenho um blog pensandoemfamilia.com.br/blog. Há um tempo fui selecionando alguns textos para um livro, mas não o publiquei.
    Parabéns

Leave a comment

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *